TURQUIA

A cidade de Istambul, atualmente a maior da Turquia, é a quinta maior do mundo. Dividida em lados,

o asiático e o europeu, é separada pelo Estreito de Bósforo.

É a única cidade do mundo com um pé na Europa e outro na Ásia.

Com posição geográfica privilegiada e um porto natural ótimo para o comércio, a cidade se desenvolveu e adquiriu riqueza em pouco tempo. Em 513 A.C, a cidade foi conquistada pelos Persas e em 407 A.C ficou sob poder de Atenas. Já em 196 A.C, o imperador Romano Septimus Severius incluiu a cidade dentro dos territórios romanos. O Imperador Constantino O Grande projetou a construção de habitações por toda a cidade e a rebatizou de Constantinopla, declarando que a cidade era a segunda capital de Roma. Ao redor da cidade foram construídas fortes muralhas e, sob a influência de Constantino O Grande, o cristianismo se espalhou tornando-se a religião oficial em 391.
No ano de 395, após a morte do Imperador Teodósio I, o Império Romano é dividido e Constantinopla se torna a capital do lado oriental. As muralhas foram construídas no início do século V, mantendo toda soberania e influência. Os primeiros edifícios foram construídos no reinado de Justiniano, sendo os tempos mais brilhantes sob a administração do império bizantino. Os árabes, entre 666 e 870, por diversas vezes tentaram conquistar a cidade.
Com os desacordos entre as igrejas Ortodoxa e Católica, em 1054 elas se separaram e Constantinopla tornou-se um centro religioso ortodoxo. Em 1096, a primeira Cruzada passa por Istambul causar danos. Em 1024, os latinos chegam com a IV Cruzada, capturando e arruinando toda a cidade. 
No final do século XIV, em 1390, os Otomanos iniciaram pela primeira vez o cerco da cidade, mas somente 43 anos depois a cidade foi conquistada. Após a conquista a cidade adotou o nome de Istambul, tornando-se a 3º capital dos Otomanos. Em 1517, após a conquista do Egito, os Otomanos trouxeram o califado para Istambul, assim a cidade se tornou o centro do mundo islâmico.
A cidade foi embelezada com a construção de mesquitas e palácios, mas alguns terremotos e incêndios causaram grandes danos a esses patrimônios. Depois da derrota na Guerra da Independência, o Sultanato e o Califado foram abolidos e a República Turca foi declarada, tendo Ankara como capital. Istambul deixou de ser a capital, mas continuou a se desenvolver e hoje é o centro comercial da Turquia. As indústrias instalaram-se em Istambul e proximidades, tanto que 1/3 da população operaria vive em Istambul. É uma cidade essencial para o desenvolvimento do seu país.

Península Histórica
Os mais interessantes e importantes lugares de Istambul estão na Península Histórica, nos bairros de Sarayburnu e Sultanahmet, onde se encontravam os palácios dos imperadores, as mais belas igrejas, mesquitas e museus. Em uma das setes colinas da península está o Palácio de Topkapi e, na outra, a Mesquita de Sultanohmet. A área designada como hipódromo, que foi o centro da cidade durante os tempos bizantinos e otomanos, encontra-se no mesmo lugar, com suas grandes e espetaculares obras, Palácio de Topkapi e a Mesquita de Sultanahmet, que foram construídas muito próximas. Assim como o Museu de Artes Turcas e Islâmica e o Museu do Mosaico.

Santa Sofia

Considerada como a maior e mais sagrada na época bizantina, a mesquita de Santa Sofia hoje é admirada pela sua espetacular e inigualável arquitetura. É um monumento romano, construído na época bizantina, com 800 anos de construção. Nenhum outro edifício foi construído que ultrapassasse Santa Sofia. Durante 916 anos, Santa Sofia foi usada como igreja, passando por uma bela restauração ordenada pelo fundador da república da Turquia, Mustafá Kemal Ataturk, com objetivo de trazer a luz mosaico bizantinos que tinham sido revestidos com estoque em 1750.


Cisterna Yerebatan
Dentre as 6 cisternas construídas em Istambul, a de Yerebatan é a maior já construída no período bizantino, situada do lado oposto do Museu de Santa Sofia. A capacidade total de água é de 80.000 m³. Após uma restauração em 1987 a cisterna foi aberta ao público, com música clássica e luzes temáticas que completam a visitação ao belo local.


Mesquita Azul (Mesquita de Sultão Ahmet)
A Mesquita Azul foi construída pelo 14º sultão otomano Ahmet I, é a maior e mais esplêndida mesquita de Istambul. O arquiteto responsável, Mehemt Agha, que era aprendiz de Sinan, levou 7 anos para estruturar a construção. Nenhuma outra mesquita construída chegou próximo à beleza da Mesquita Azul. A Mesquita do Sultão é a única com 6 minaretes (torres finas em volta da mesquita) em Istambul e na Turquia. Alguns desses minaretes são embelezados com azulejos azuis. O arquiteto não inovou do ponto de vista arquitetônico, mas o interior foi decorado de forma a se distinguir das outras mesquitas romanas.  A mesquita recebe o nome de Mesquita Azul porque o azulejo Azule Verde é predominante nas paredes e cúpulas. Os tapetes que cobriam o chão da mesquita eram feitos a mão e hoje foram substituídos por tapetes feitos em fábricas. Dentro da mesquita podemos encontrar o Museu do Mosaico, onde estão expostos maravilhosos mosaicos do século IV e VI.


Hipódromo (Praça de Sultão Ahmet)
O Hipódromo é o coração da cidade, com capacidade para 30.000 espectadores, era um dos maiores hipódromos de Istambul. Ele tinha três funções nos tempos bizantinos: Primeiro todas as atividades desportivas e eventos artísticos como corridas de carros, evento mais atrativo da época e combates de gladiadores, eram realizados no local. A segunda função do hipódromo era servir como Arena Política e a última função era ser utilizado como museu a céu aberto.


Dikilitas (Obelisco)
Sua construção aconteceu por conta da vitória de um faraó. Existem outros espalhados pelo Egito e grandes cidades da Europa. O obelisco é feito de granito, em todo seu envolto estão os hieróglifos egípcios descrevendo bravuras do faraó Tutmes.
A Coluna Serpentina
Foi trazida do templo de Apolo em Delfo na Grécia, com mandamentos do Imperador Constantino no ano de 326. A vitória dos gregos sobre os persas foi simbolizada, com formato de troféu de ouro colocado sobre a cabeça de 3 cobras entrelaçadas. A coluna foi danificada após um grande terremoto, mas foi restaurada recentemente.


Fonte Alemã ou Fonte Kaiser Wilhelm
Como umas das ultimas obras do hipódromo, a fonte alemã foi projetada pelo imperador alemão que, impressionado com a hospitalidade que recebeu em Istambul durante uma visita, mandou construir a elegante fonte. A fonte se encontra no hipódromo com o nome de Atmeydani. 


Palácio Topkapi
O Palácio Topkapi é o lugar mais importante a ser visitado em Istambul, é o mais visitado da Turquia com 2,5 milhões visitações por ano. Com cerca de 700.000m², ele é duas vezes maior que o Vaticano e Mônaco. O plano arquitetônico do palácio de Topkapi é constituído em duas partes: a primeira chama-se Enderun, onde vivia o sultão e os membros da dinastia; e a segunda chama-se Birun, onde viviam os empregados civis que executavam trabalhos governamentais. Ao entrar no palácio nos deparamos com a magnífica fonte que o Sultão Mehmet II mandou construir. Logo na entrada podemos conferir as maquetes do lugar para termos idéia do tamanho total do palácio.


Igreja de Santa Irene
A igreja de Santa Irene foi construída sobre as ruínas do templo dedicado a Afrodite, sendo a segunda maior construção após Santa Sofia. Seu formato em cruz é único, os mosaicos trazem influência da época iconoclasta. Com uma bela acústica, a igreja passou de Museu Arqueológico a teatro de concertos musicais. Diferente dos outros edifícios, a visitação à Igreja de Santa Irene só pode ser feita mediante autorização.


Museus Arqueológicos de Istambul
Situado entre os 5 maiores museus arqueológicos do mundo, o de Istambul é constituído pelo Museu do Antigo Oriente e pelo Museu do Azulejo. O Museu do Antigo Oriente abriga exemplares de civilizações pré-asiáticas trazidas do Egito, Anatólia e Mesopotâmia, com as mais interessantes esculturas do século XIV A.C. O Museu do Azulejo foi construído sob ordem de Mehmet II em 1466 e é um dos edifícios mais antigos do Palácio Topkapi. O edifício, que já foi utilizado pelos otomanos como sala de entretenimento, hoje é departamento de apresentação das obras de azulejaria e cerâmica turco-islâmica. A abertura dos portões para o público aconteceu em 1991, colocando em exposição 800.000 das 2.5 milhões de obras de arte, sendo a maioria da época grega e romana.


Ao longo das Muralhas Costeiras
Com suas margens rodeadas por muralhas construídas na época bizantina, Istambul a apelidou de Muralhas Costeiras. Essas muralhas estão nas margens do Mar de Marmara e seu comprimento total é de 8,5 Km. Elas foram construídas sob a ordem de Constantino O Grande no século IV, restauradas nos tempos bizantinos e ignoradas pelos otomanos
Kumkaki
É o primeiro bairro da linha costeira, logo depois temos o barro de Kadirga, cujo nome vem dos cais onde atracavam os grandes galeões da esquadra otomana. Hoje esses bairros chamam atenção pelo seu grande mercado de peixes e pelos restaurantes especializados nessas iguarias.


Castelo Yedikule
Um dos castelos mais esplêndidos nas proximidades das muralhas costeiras, foi construído sob as ordens de Teodósio I.


Muralhas Terrestres
As muralhas terrestres foram construídas sob supervisão de Anthemios, governador da cidade. Essa obra tem 6 km de comprimento e seu ponto mais alto fica a 76 metros acima do nível do mar. Para acesso a cidade, as muralhas tem 46 grandes portões.

O Bairro dos Bazares e Eminonu
Um dos bairros mais famosos de Istambul está localizado no final da Praça de Çemherlitas. Essa praça é bem famosa, pois já foi rodeada pelo senado e importantes departamentos oficiais. A única obra na Praça Çemherlitas que resistiu ao tempo foi a Coluna de Constantino ou Coluna Queimada, assim também chamada. No topo dessa coluna imensa, que tem 50 metros de comprimento, há um estátua de bronze que foi colocada sob ordens de Constantino o Grande. Atualmente essa coluna tem 37 metros, devidos a incêndios e terremotos que acabaram destruindo algumas partes suas, mas em 1955 ela foi restaurada. Acredita-se que por baixo desse imenso pedestal estão escondidas algumas relíquias sagradas, como um pedaço original da cruz de Cristo e a pedra com a qual Moisés partiu o cetro que jorrou água no deserto.


Mesquita de Bayezid
Uma maravilhosa mesquita que representa a transição das combinações arquitetônicas. A harmonia dos arcos brancos e vermelhos ao redor do pátio e as lajes de mármore que cobrem o chão, são algo magnifico. A decoração da cúpula lembra tecidos pintados. Os azulejos, cinzeladuras e antigos escritos otomanos, aumentam a beleza da decoração.


Torre Beyazit
Com 85 metros de altura, a Torre de Beyazit foi construída sob as ordens do Sultão Mahmut I, com mármore branco de Marmara. A enorme torre tem 180 escadas e 4 andares, com os nomes de Virar, Sinal, Cesto e Bandeira.


Mesquita de Nuruosmaniye
Sua construção teve início sob as ordens do Imperador Mahmud I e depois da sua morte foi contemplada pelo Sultão Osman III. Construída entre os anos 1748-1755, é um dos exemplos mais bem sucedidos do estilo barroco europeu. A mesquita foi construída numa das 7 colinas da antiga Constantinopla. O diferencial da Mesquita de Nuruosmaniye é sua decoração. O pátio em semicírculo com 12 colunas, 14 cúpulas e sem fonte, tem características arquitetônicas e decorativas do barroco, que estão ausentes nas mesquitas  construídas anteriormente.
Museu da Arte Turco-Islâmica 
O museu foi transferido de sua localização original em 1983 após a restauração do Palácio de Ibrahim que havia caído em ruínas. As mais valiosas relíquias do museu são as coleções de tapetes turcos feitos a mão. O autêntico estilo de vida e artesanato da Anatolia está exposto nesse maravilhoso museu.


Museu Sokollu
Essa mesquita foi construída  pelo famoso arquiteto Sina. É um pequeno monumento otomano, com sua cúpula elevada a 22 metros e suas 56 janelas que iluminam as caligrafias em azulejos azul marinho de Iznik. Vale muito a visita. 


Mesquita de Rustem Pasha
Localizada próximo ao mercado de especiarias, foi construída pelo grande arquiteto Sinan em 1561, sob as ordens do grande Vizer Rustem Pasha, o mais poderoso administrador da época. A mesquita foi construída em um espaço tão alto que poderia ser avistada de todos os lugares. Todas as paredes internas, e parte das externas, foram decoradas com um tipo de decoração que não encontramos em outras  mesquitas. Os azulejos foram fabricados em Iznik e são as peças mais valiosas da mesquita. Os azulejos da cor vermelha que estão na parede da mesquita são os mais atrativos, com figuras como tulipas e padrões geométricos.


O Mercado de Especiarias
Foi construído com o objetivo de financiar os custos de um novo complexo de mesquita, finalizado em 1660 e inclui aproximadamente 80 lojas. São variados os tipos de especiarias e ervas curativas que podem ser encontradas em pacotes, já preparadas ou pesados diretamente em enormes sacos. Nos arredores do mercados podemos encontrar diversos tipos de comércio como lojas de flores e de animais. Um lugar muito interessante que não pode deixar de ser visitado.


Mesquita de Yeni Cami
Situada no centro mais movimentado de Istambul, conhecido por ter a mais populosa congregação, seu nome original era Nova Mesquita da Rainha Mãe. Sua construção levou muito tempo em relação as outras mesquitas de Istambul. Duraram 66 anos, sua construção foi interrompida, principalmente pela morte do arquiteto e depois por falta de financiamento. Durante a construção, o mar estava apenas 3 metros do podium sobre o qual a mesquita foi construída. Por isso, a sua construção exigiu sérios conhecimentos e experiências de engenharia. Quando a mesquita foi aberta ao culto, o sultão, a rainha, vizirs e escolásticas participaram na inauguração da primeira oração enquanto ouro e prata eram distribuídos entre o novo. A altura da cúpula principal é de 36 metros e 17,5 metros de diâmetro. Os vitrais coloridos, as incrustações de madrepérola nas janelas e portas são elegantes exemplos da arte otomana. Sobre todas as janelas estão versos do livro sagrado Corão.


Ponte de Galata
A primeira ponte sobre o Corno de Ouro foi construída entre Unkapani e Azapkapi. Depois outra ponte foi necessária para ligar o centro da cidade à Galata. A sua construção foi finalizada em 1845. A ideia de construir a ponte foi de Bezm-I. Além VAline Sultan (Rainha-Mãe) e por isso chamada Ponte de Valide Sultan- Nova Ponte. Foi a primeira ponte de madeira, restaurada entre 1853-1875.


Aqueduto de Valens
Foi construído em 375 sob a ordem do imperador romano Valens, entre a terceira e quarta colina da península histórica. Era utilizado no transporte da água que vinha da floresta de Belgrado para o Nymphaion (fonte monumental) na Praça de Beyazid. A altura do aqueduto de Valens é de 64 m do nível do mar e 20 m do solo. A sua extensão original era 1 km, mas atualmente é de 800 metros.


Mesquita de Faith
Foi a primeira igreja imperial construída depois da conquista de Istambul. E no 10º aniversário da conquista de Istambul, o sultão Faith Mehmet, ordenou a construção de um novo complexo cultural e de culto, no lugar da igreja e que tivesse o seu nome. A sua intenção era reavivar e competir com a tradição de edifícios monumentais do período bizantino. O diâmetro da cúpula é de 26 metros e 50 metros de altura. O complexo Faith foi a primeira universidade em Istambul. O nicho principal é em estilo barroco. Há uma fonte no interior da mesquita onde se pode beber a água. Maravilhosos painéis de caligrafia árabe estão junto à entrada, onde estão escritos em mármore e em painéis de azulejo. No pátio estão os túmulos de Gulbahar, mulher do sultão Faith O Conquistador, e de Gazi Osman Pasha, o herói da Guerra Otomano-Russa entre 1877-1878.


Mesquita Fethiye ou Igreja Pammakaristos
Foi construída no século XII, sob a ordem de Joahannes Kommenos e de sua esposa. Depois da conquista da Geórgia e Azerbeijão, foi transformada em mesquita em 1591, em honra das conquistas. Chamada Mesquita Fethive pelos otomanos, é agora usada parcialmente como museu e mesquita. Fethiye é um edifício bizantino que tem os mosaicos mas bonitos de Katiye e Santa Sofia. Os mosaicos dedicados a Maria, designados “Feliz Mãe de Deus”, são típicos exemplos da Renascença Bizantina, tal como os de Chora. Quando foi convertida em mesquita, os mosaicos foram revestidos com uma camada de cal. No principio deste século, foram limpos ficando outras vez visíveis. A cúpula é tipicamente bizantina. As paredes da igreja foram construídas com elegantes pedras e tijolos.


Museu Kariye ou Museus de Chora
O Museu Kariye constitui uma obra-prima com os seus esplêndidos mosaicos bizantinos. Os mármores coloridos no chão e os mármores nas paredes criam um agradável ambiente. À direita da abside está o mosaico do Menino Jesus e Maria e à esquerda Jesus Cristo. As histórias representadas nos mosaicos são retirados da Bíblia. Mas muitos dos assuntos, tais como o Nascimento e a Infância de Maria, foram retirados das Bíblias Apocalípticas. Na maioria dos casos, as decorações das igrejas eram realizadas pelos padres, mas as da Igreja de Chora é o produto dos artistas profissionais. As personagens mais importantes foram ilustradas de frente e outras de perfil.
Palácio Tekfur
Passando pelo Corno de Ouro, podemos ver algumas ruínas dos tempos bizantinos. A primeira a ser vista é a do Palácio de Tekfur, que chama a atenção pela sua construção diferente. Este palácio é a única seção ainda existente do Palácio Blacherna, construído entre os séculos XI e XIV. O edifício foi utilizado durante o século XVIII para manufatura de azulejos.


Mesquita do Sultão Eyup
Foi construída em memória de Halid Bin Zeyd, conhecido como “Eyup El Ensari”, martirizado durante o primeiro cerco de Constantinopla pelos árabes entre os anos 674 a 678. Nada restou da primeira mesquita que Mehmet II mandara construir. A mesquita, visitada hoje em dia, foi construída por Selim III, depois da destruição da primeira durante um terremoto em 1766. O interior da mesquita foi decorado com trabalhos de caligrafia e inscrições emolduradas, oferendas de diferentes períodos. Os painéis de azulejos do século XVI, onde predominam sombreados azuis e verdes, atraem toda a atenção ao túmulo de Eyup Ensano. No bairro de Eyup, há muitos túmulos e complexos construídos para pessoas devotas que querem ser enterradas perto do santo.


Fener-Balat
O edifício do Patriarcado Grego de Fener, que fica na primeira rua paralela a marginal, é um dos edifícios mais significativos do Corno de Ouro. O edifício foi transferido em 1720, alguns dos vestidos sagrados dos cristãos, os túmulos de santos, o trono do patriarcado e outros ícones valiosos, estão aqui guardados.


Mosteiro Pantokrator da Mesquita Zeyrek 
Este complexo foi construído pelo famoso arquiteto da altura, Nikephoros, sob as ordens do imperador Johannes Komnenos II e sua mulher Irene, no primeiro bairro do século XII. É constituído por duas igrejas adjacentes, que são dedicadas a Jesus Cristo e Maria, e a capela entre elas era dedicada ao arcanjo São Miguel. A igreja Pantokrator é a segunda maior igreja de Istambul. Depois da conquista de Istambul, as igrejas eram transformadas em mesquitas e os mosteiros transformados em medresas. Os mosaicos coloridos e os vitrais restantes nas janelas são amostras raras da magnificência arcaica da igreja e que sobrevivem. 


Gálata e Taksim
Esta área que esteve sob o domínio dos genoveses e venezianos durante o período bizantino, não revela vestígios destes povos. A Torre de Gálata e a Mesquita Árabe são os edifícios mais antigos desta área. Após a conquista otomana, foram criadas nos arredores muitas sinagogas e igrejas.


O Túnel
Do lado oposto à Ponte de Gálata, fica um pequeno túnel que liga o bairro Gálata ao de Beyoglu. Este túnel foi construído entre 1871-76, pelo engenheiro Frances Eugene Henry Gavand, que depois de preparar o seu plano, estabeleceu um joint venture com homens de negócios ingleses. É o mais antigo e menor em extensão do mundo.


Torre de Gálata
A torre, nas encostas da Gálata, é visível em toda cidade. Tem 61 metros de altura e fica na colina que dá para o Bósforo, Corno de Ouro e Mar de Marmara. Os genoveses construíram esta torre como parte das muralhas defensivas da região que conquistaram dos bizantinos. No período otomano, a torre foi usada como prisão, armazém, farol e torre de observação de incêndios. Foi restaurada entre 1964-67 quando foi acrescentada uma nova varanda. 

     
Praça de Taksim
Um dos centros mais ativos de Istambul, a praça tem o nome do edifício, no qual é administrada a distribuição da água pelos diferentes bairros da cidade e que fica a entrada da Rua Istiklal. Um local de grandes encontros políticos e militares. No seu centro temos o monumento da República que simboliza a Guerra da Independência e a fundação da República. A Praça de Taksim está rodeada de grande locais como centros culturais, salas de concerto e exposição, cinema e teatro. O Museu Militar, que é um dos maiores de Istambul, foi criado em 1959 e também se localiza nas proximidade dessa famosa praça. 


O Bósforo
O estreito do Bósforo que separa a Ásia da Europa ao mesmo tempo em que liga o Mar de Marmara ao Mar Negro, tem 31,7 km de comprimento. A costa asiática do Bósforo é de 35 km e a costa europeia é de 55 km de comprimento. O Bósforo, vital para a Romênia, Bulgária, Ucrânia e Rússia chegarem ao Mediterrâneo e depois aos oceanos, é uma linha de água internacional sob o controle da Turquia, mencionado no Tratado de Montreaux (1936). O Bósforo contribuiu para o desenvolvimento de Istambul como centro de comércio, depois da evolução do comércio marítimo. Também foi igualmente importante no período bizantino e os primeiros palácios de verão foram construídos na linha costeira. Algumas seções das fortalezas, construídas neste período, sobrevivem até hoje. Um dos momentos mais significativos da história do Bósforo ocorre no ano 1973. Nesse ano foi inaugurada a Ponte do Bósforo que une pela primeira vez a Ásia e a Europa. A 2ª ligação foi em 1988. Anualmente cerca de 50.000 cargueiros, supertanques, e grandes barcos de cruzeiro, viajam no Bósforo.

Mesquita de Dolmabahçe
A mesquita, terminada entre 1852-53, foi construída sob a influência dos movimentos renascentistas e barroco. Sua arquitetura é muito diferente das mesquitas clássica otomanas e sua beleza é revelada mais quando a vemos do lado do mar do que quando a observamos de perto. A luz que entra pelas janelas contribui para embelezar a decoração colorida de mármores. O interior da mesquita esta decorada de pinturas e bordados.


Torre de Relógio Dolmabahçe
A torre do relógio foi construída em 1890 pelo arquiteto Sarkis Balyan, sob a ordem do sultão Abdulhamit. Foi edificada diante do portão, tem 27 metros de altura e 4 andares. O chão é de mármore e a parte superior construída com blocos de pedra. 


Museu-Palácio Dolmabahçe
Esta área foi originalmente a baía onde o barcos navais ancoravam nos primeiros tempos da conquistas de Istambul pelos Otomanos. Entre os anos 1611-14, esta baía foi assoreada e um edifício de madeira com um enorme jardim chamado Palácio Beskitas foi mandado construído pelo Sultão Ahmet I. O terreno do Palácio Bekistas foi escolhido para o novo palácio de Sultão Abdulmeçit, o 31º sultão do império otomano, que ascendeu ao trono em 1839, que encarregou o arquiteto armenico Kababet da construção do palácio. O Palácio Dolmabahçe foi um gasto desnecessário para o tesouro otomano, que ficou completamente vazio com a dívida externa. Desde a queda do império otomano o palácio ficou completamente vazio durante 32 anos. Os últimos 6 sultões e o califa Abdulmeçit viveram neste palácio. Depois de Abdulmeçit a maioria dos sultões que o sucederam preferiram viver em palácios menores que mandaram construir ao longo do Bósforo.


Besiktas
Foi um dos primeiros povoamentos ao longo do Bósforo, nos seus arredores existem alguns lugares históricos e dois museus importantes a visitar neste bairro. O Túmulo do admirável Hayrettin Pacha e, no lado oposto, a Mesquita de Sinan Pacha. O primeiro museu em Besiktas é o Museu de Belas-Artes, dentro da Palácio Dolmabahçe e o outro é o Museu Marítimo que inclui objetos, modelos, canhões, mapas e uniformes pertencentes à Armada Otomana. Além disso, há 3 igrejas ortodoxas e armênias dentro do Bazar de Begiktag. Também neste lindo bairro encontramos o Parque Yildiz, que foi famoso pelas suas árvores de loureiro durante a época bizantina.


Ortakoy 
Ortakoy é um dos bairros mais ativos do Bósforo, um indicador da tolerância a outras religiões porque nele uma mesquita, uma sinagoga e uma igreja ortodoxa partilham o mesmo bairro. Os bizantinos designavam esta zona de Ankheion. Os turcos começaram a se estabelecer nesta área no século XVII. A Mesquita de Ortakoy situa-se na marginal. Nas ruas proximidades da mesquita ficam a Igreja Ayos Fokas, construída em 1856 e a Sinagoga Etz Ahayim. 


Ponte do Bósforo ou Ponte de Atatürk
O projeto para sua construção iniciou-se em 1950 a fundação aconteceu no dia 20 de fevereiro de 1970. Foi finaIizada no 50º aniversário da fundação da República Turca, com 1560 metros de comprimento e 33 metros de largura e um custo de 23 milhões de dólares. A altura da ponte ao nível do mar é de 64 metros. A Ponte Atatürk suporta por dia 200.000 veículos e 600.000 pessoas. É a quarta maior ponte suspensa da Europa e a 7ª do mundo. 


Fortaleza de Rumeli
A construção dessa linda fortaleza foi feita por 1.000 operários especializados e 2.000 trabalhadores completaram a fortaleza em um espaço de tempo inacreditável, 4 meses. Em 1.953, ela foi restaurada para a celebração do 500º aniversário da conquista.


Emirgan - Sariyer
Aberta ao público em 1.943, essa floresta inclui mais de 120 diferentes espécies de plantas. Na Primavera, o Festival da Tulipa é realizado no local.Na Baía de Tarabya encontramos a Villa Huber que é utilizada atualmente como Palácio Presidencial. O bairro de Tarabya é famoso pelos seus restaurantes de peixe. As excursões privadas de barco no Bósforo acabam aqui, onde poderá almoçar peixe e depois regressar à cidade. Entre Buyukdere e Sanyer fica o Museu Sadberk Hanim onde estão expostas as coleções da família Koç, uma das famílias industriais mais importantes da Turquia, além de vestígios arqueológicos.


Üsküdar
Uskudar é a histórica área residencial da cidade-asiática que ainda mantém o seu caráter oriental. O seu antigo nome era "Chrysopolis" que significa a Cidade de Ouro.

 

Torre de Leandro (Kiz Kulesi)
A Torre de Leandro cobre uma área de 1.250 m2 e foi construída a 200m da costa marítima, sobre algumas rochas em Salacak, bairro de Uskudar. Os locais chamam-na de "Torre da Dama". A literatura histórica declara que a guerra entre Atenas e Esparta teve lugar aqui. No século XII, o imperador bizantino ordenou a construção de um outro castelo. Depois da conquista de Istambul, Mehmet II ordenou a construção de um outro, este reforçado de canhões. Foi restaurado entre 1.943 e 1.945 e é atualmente utilizado com Estação de Controle.

 

Palácio Beylerbeyi
Foi o segundo palácio a ser construído no Bósforo, com três grandes entradas elegantemente decoradas, seis enormes salões e 24 quartos. O edifício tem 65 metros de comprimento e 40 metros de largura. As divisões têm esteiras egípcias e lustres boêmios pendurados nos tetos. No chão, os mais extraordinários tapetes trazidos das casas de tecelagem de Hereke. O Sultão Abdulhamid II passou o resto de sua vida no palácio após ser deposto de seu cargo. Atualmente o Palácio Beylerbeyi é um museu.


A colina de Çamlica
A Colina de Çamlica fica perto do Palácio de Beylerbeyi e é um dos pontos mais altos do Bósforo e de Istambul, fica a 263m acima do nível do mar. Era utilizado como área para piqueniques. A colina tem um maravilhoso panorama que inclui o Mar de Marmara, Bósfóro, a Península Histórica e as Ilhas.

Palácio de Verão Kücüksu
Foi construído pelo arquiteto Nikogos Balyan entre 1.856 e 1.857 para o Sultão Abdulmecid. Fica perto do Rio Küçük Göksu e tem dois andares. Foi restaurado entre 1980-83 e convertido em museu.

Anadolu Hisam (Fortaleza)
Construída por Yildirim Bayezid em 1.393, durante um dos cercos de Istambul, a Vila Hasan Pacha é a mais antiga de todas estas vilas. Este bairro é famoso pelo iogurte Kanlica, vendido num café perto do cais. Depois deste bairro do Bósforo, há novas áreas habitacionais e vilas pescatórias nas quais são vendidas peixe fresco e outros produtos do mar. 

Ilhas dos Príncipes
As ilhas ficam no Mar de Marmara, a alguns quilômetros da margem de Bostanci do lado asiático e a 20 km da Península Histórica. A ilha consiste em 9 ilhas e duas pequenas ilhas rochosas. São chamadas Adalar, mas os estrangeiros as chamam de Ilhas Crimson ou Ilhas dos Príncipes. No período bizantino eram chamadas Papadanisia (Ilhas dos Padres). Os veículos motorizados são proibidos, exceto os veículos do município. O transporte é assegurado por bicicletas e carruagens.