Artesãos

A tapeçaria começa com a confecção do trançado básico. Este trançado é composto por algumas correntes colocadas na moldura, já na medida definitiva. O espaço existente entre elas define a segurança das diversas partes da peça podendo ser mais finas ou espessas quando estiverem prontas. Os nós são atados pelo trançado básico. A execução de cada carreira de nós segue uma direção, permitindo que cada fio básico fique uma vez voltado para frente e outra vez para trás. Antes de começar a atar os nós, é preciso preparar uma ourela nos lados mais compridos do trabalho.

A ourela consiste em prender dobrados duas ou três vezes, juntos, os fios básicos externos. Quando a beirada do tapete está pronta, tem início o trabalho de atar. Ao término do trabalho de atar os nós, os finais são feitos para que não saia dos padrões. Depois de pronto, o tapete recebe a ourela nos lados mais curtos, igual à que foi feita no início do trabalho nos lados mais longos. O tapete é cortado e retirado da moldura deixando uma margem de 10 a 20cm de comprimento nos fios básicos ou correntes, assim ele é pendurado para ser feita a franja. A próxima etapa é o corte.

O valor de um tapete oriental começa a ser contado pelo tempo e quantidade de atadores necessários para executá-lo. Quanto mais esticado o atado das saliências, mais firme será a trança do tecido. A firmeza do tecido é assegurada em cada pedaço do atado. Os atados persas têm um avesso quase liso, os fios atados são muito esticados. Os fios curtos de lã encontrados sobre o lado avesso do tapete diminuem a friagem do chão.


Tear vertical

O tear é uma armação que prende o tapete junto a sua estrutura para ser tecido. Os teares verticais são específicos aos tapetes de vila e de oficina, e seu conjunto é mais complicado do que teares horizontais. Os tapetes tecidos em teares verticais são mais exatos nas dimensões e no projeto.

Tear fixo

No tear fixo, os artesões sentam-se em um assento ajustável na frente do tear. O assento é levantado enquanto as fileiras dos nós são adicionadas.

Tear de Tabriz

Neste tear, a seção tecida do tapete é puxada abaixo e atrás do tear. Desta maneira, os tecelões não precisam se mover. Estes teares são usados no Irã, na província de Azerbaijan, nas cidades de Arak, Qum, Hamadan e nos centros comerciais da Turquia.

Tear feixe do rolo

No tear feixe do rolo, a parte tecida do tapete é rolada em torno do feixe mais baixo. Com este tear, os tapetes muito grandes também podem ser tecidos.

Tear horizontal
Os teares horizontais são o tipo mais simples de tecer. Usados principalmente pelos nômades, porque podem ser facilmente desmontados para se locomoverem a outros lugares.       

Placa do projeto

A placa do projeto ou cartão é um desenho colorido de um tapete no papel gráfico (enquadrado) que guia os artesãos que os colorem. Geralmente cada quadrado representa um nó. Para os tapetes que têm a simetria no projeto, a placa ilustra geralmente um quarto do tapete.

Pente

Depois que a conclusão de uma fileira dos nós é tecida e de passar uma costa da trama através das urdiduras, a costa de trama e a fileira dos nós são batidas com um pente especial. O pente é movido para cima e para baixo através das costas da urdidura, pressionando a costa de trama no alto dos nós que fixam os nós no lugar.